terça-feira, maio 15, 2012

Captura de Movimento

Matheus Buranelli

Para registrar objetos fotográficos em movimento utiliza-se o artifício da velocidade. Esta função trabalha com o segundo e suas frações.

Nesta primeira foto, a modelo Jenypher gira um guarda-chuva. A câmera estava configurada com velocidade igual a 8 avos de segundo, o que significa que sua captura será realizada em 1/8 segundo e os objetos que se moverem nesse intervalo possivelmente não ficarão nítidos. Sobretudo, por ser uma velocidade mais lenta, é provável que o objeto se mova neste intervalo:

Vel. 1/8 - Abert. 5.3 - ISO 100





















  
Nota-se que a modelo não perdeu sua forma, pois não mudou muito de posição. O mesmo não aconteceu com o guarda-chuva, que teve sua estampa deformada pelo movimento. É interessante observar também que o centro do mesmo não sofreu tanto quando sua borda, pois lá o movimento foi mais suave e, portanto, houve menos mudança de posição.

                                                         ***

Com a configuração da velocidade alterada para 1/2000, a captura foi feita muito mais rapidamente - no tempo de 1 segundo dividido em 2000 partes - e o objeto foi congelado sem se deformar:  

Vel. 1/2000 - Abert. 5.3 - ISO 3200


É importante considerar que quando configurada com alta velocidade, o obturador fica aberto por pouco tempo e, por consequência, pouca luz entra pra compor a imagem, tornando a foto escura. Deve-se configurar também a abertura do diafragma e o ISO para que se obtenha um melhor resultado. O primeiro funciona como uma espécie de retina, dosando a luz que entra, enquanto o segundo aumenta a fotossensibilidade, clareado a imagem (passível de pixelização). Com efeito, tais funções funcionam em conjunto, apesar de estarem aparentemente dissociadas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário